quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

DIA INTERNACIONAL EM MEMÓRIA DAS VITIMAS DO HOLOCAUSTO

Comemora-se no próximo dia 27 de Janeiro o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, data que coincide com o 70.º aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, em 1945.

A Escola Básica e Secundária Domingos Capela (Agrupamento de Escolas Dr. Manuel Gomes de Almeida) associa-se às cerimónias que, nas Nações Unidas e em todo o mundo, rendem homenagem às vítimas do Holocausto. Recordar os seis milhões de Judeus e as demais vítimas do extermínio nazi, como os prisioneiros de guerra, os dissidentes políticos e os membros de grupos minoritários que foram sistematicamente assassinados durante a II Guerra Mundial, é um dever de todos.

Ao evocar o Holocausto os professores desta escola reiteram o compromisso de promover a educação, a memória e o estudo deste episódio tenebroso da história da Humanidade, que abalou profundamente a nossa civilização bem como o respeito dos Direitos Humanos, da tolerância e do respeito mútuo entre pessoas e povos.

Um grupo de 70 alunos (ou mais) será acompanhado por alguns professores das disciplinas de Educação para a Cidadania, História, Educação Visual e Inglês numa marcha que pretende simbolizar a “Marcha dos Sobreviventes” que ocorre todos os anos no antigo campo de extermínio nazi de Auschwitz-Birkenau, no sul da Polónia. Esta marcha, com mais de vinte anos de existência, tem como objectivo homenagear as vítimas do Holocausto libertadas pelas tropas aliadas há 70 anos. As milhares de pessoas que nela participam todos os anos percorrem a pé os cerca de três quilómetros que separam o campo de Auschwitz do de Birkenau, passando pelo que ainda resta das câmaras de gás e dos fornos crematórios.

Os alunos e professores que integram esta marcha simbólica levarão as 70 flores que prepararam ao longo da semana e depositá-las-ão na Biblioteca Municipal para que todos possam relembrar, reflectir e reagir contra a intolerância, o preconceito, o racismo, a xenofobia e o ódio, enfim, para que a história nunca mais se repita.

0 comentários:

Enviar um comentário