terça-feira, 25 de novembro de 2014

LANÇAMENTO DO LIVRO "POR ACASO..."

A jornalista da RTP, Fátima Araújo, apresenta o livro “Por acaso…”, da sua autoria e com prefácio escrito pelo neurocirurgião João Lobo Antunes, no dia 3 de Dezembro de 2014, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, na Biblioteca Municipal José Marmelo e Silva em Espinho pelas 18:00 horas.
O livro “Por acaso…” é uma narrativa jornalística sobre cinco jovens portugueses com Paralisia Cerebral que, apesar das suas limitações físicas, são casos positivos de sucesso, de empreendedorismo social e laboral, de pioneirismo, de integração social bem-sucedida, de auto-aceitação e de auto-superação, jovens exemplos de interacção, que ajudam a desmistificar clichés e preconceitos que a sociedade continua a ter em relação aos deficientes, jovens exemplos de perseverança e exemplos de pessoas úteis e válidas. 

O livro “Por acaso…” aborda não só as questões relacionadas com os projectos profissionais e sociais em que esses cinco jovens portugueses com Paralisia Cerebral estão envolvidos, mas também questões relacionadas com os seus afectos, as suas relações pessoais e a sua sexualidade, questões associadas à sua fé e à forma como a prática desportiva é determinante para a sua auto-aceitação e superação. 
As cinco histórias de vida narradas neste livro são a de Rui Reisinho, um bailarino com Paralisia Cerebral que criou, há 18 anos, a primeira escola de dança inclusiva em Portugal; a de Ana Catarina Rodrigues, uma socióloga com Paralisia Cerebral, activista do MDI - Movimento de (d)Eficientes Indignados, que luta para que sejam implementados em Portugal os institutos de vida independente, destinados às pessoas com deficiência que querem ter uma vida autónoma e que não querem ser institucionalizadas; a de José Pedro Gomes, um informático com Paralisia Cerebral que está a desenvolver uma aplicação para as pessoas com Paralisia Cerebral que não falam e que têm debilidades nos membros superiores (mãos) poderem usar telemóveis, tablets e computadores através do olhar; a de Fátima Ferreira, uma professora do Ensino Básico com Paralisia Cerebral, autora de um livro publicado e ex-campeã de natação adaptada; e a de José Rui Silva, um informático com Paralisia Cerebral, praticante de vela adaptada, que quer desenvolver sistemas de informação e tecnologias de informação que permitam dinamizar a criação de postos de trabalho para pessoas com deficiência. 
"Por Acaso…" nasce no âmbito duma parceria entre a Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC) e a empresa IMOA - Clothing for All, uma empresa sedeada em São João da Madeira, que se enquadra no conceito de empreendedorismo social e que produz roupas inclusivas, susceptíveis de serem usadas por todas as pessoas, independentemente de terem deficiência e incapacidade física ou não, sendo que algumas dessas peças de roupa têm especificidades técnicas adaptadas a pessoas com deficiência, a acamados e a doentes em cuidados paliativos.
O livro "Por acaso..." abraça, assim, uma causa solidária, tanto mais que parte das vendas do livro reverte a favor da Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC).
A Paralisia Cerebral em Portugal
A Paralisia Cerebral é a deficiência motora mais frequente na infância. Caracteriza-se por um con¬junto de défices permanentes dos movimentos e da postura, causados por algum distúrbio no encéfalo durante o desenvolvimento do feto na gravidez ou depois do nascimento. 
Essas debilidades motoras são, em muitos casos, acompanhadas de perturbações de comunicação e de comportamento, perturbações sensitivas, de percepção e de cognição, por Epilepsia e por problemas musculares. Apesar disso, mais de 40% das pessoas com Paralisia Cerebral tem uma inteligência normal. 
A Paralisia Cerebral ocorre em cerca de 2 bebés por cada 1000 nados-vivos. Existem, em Portugal, mais de 20 mil pessoas com este problema. Por ano, surgem no nosso país 200 novos casos. 50% desses casos tem na sua origem nascimentos prematuros. 
O parto pré-termo (prematuro) é o maior factor de risco para provocar Paralisia Cerebral. Cerca de 10% dos casos de Paralisia Cerebral são explicados por asfixia durante o trabalho de parto. Fertilização in vitro, malformações no feto, factores genéticos, infecções congénitas e perinatais, infecções intra-uterinas, problemas vasculares ocorridos durante a gravidez e gestação múltipla são factores que contribuem igualmente para o nascimento antes do tempo e que podem também estar na origem da Paralisia Cerebral. 
Este distúrbio manifesta-se de diferentes formas nas diferentes pessoas. Existem, por isso, diferentes tipos de Paralisia Cerebral, que pode ser classificada em espástica, discinésica, atáxica, hipotónica e mista. 
Uma avaliação feita em Portugal, em 2006, a todas as crianças com Paralisia Cerebral nascidas em 2001 (avaliação feita no âmbito do Programa de Vigilância Nacional da Paralisia Cerebral aos 5 Anos de Idade), concluiu que mais de 45% das crianças com Paralisia Cerebral tinha uma dependência de tercei¬ros para toda a vida.

0 comentários:

Enviar um comentário