O Reformador

Para consulta online

Gazeta de Espinho

Para consulta online

-->

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

JORNAIS LOCAIS "O REFORMADOR"


Já disponível o jornal "O Reformador" para consulta on line

“O Reformador” iniciou a sua publicação a 5 de novembro e 1922 e saiu periodicamente aos domingos até 24 de abril de 1927. No seu primeiro número anunciava-se como “semanário independente”, cujos objetivos seriam “não só pugnar com a máxima tenacidade e desassombro pelo desenvolvimento e embelezamento desta praia, mas também defender com toda a imparcialidade e justiça os legítimos interesses dos seus munícipes” (p. 1).
De facto, segundo Carlos Morais Gaio (“A génese de Espinho”, pp. 258-259), “O reformador” começou a ser publicado numa altura em que o jornal “A gazeta de Espinho” tinha a sua publicação suspensa devido a lutas políticas, e espelhava a ”reacção dos industriais e comerciantes face à política fiscal do município, acompanhada de um ataque constante à personalidade de José Salvador [protagonista do domínio do Partido Democrático], ao mesmo tempo que exaltava a figura de Manuel Joaquim Simões Pedro [ligado a diversas empresas comerciais do concelho]”. 

Bibliografia consultada: 
BRANDÃO, Francisco Azevedo – "Anais da história de Espinho": 985-1926. Espinho: Câmara Municipal de Espinho: Junta de Freguesia de Espinho, 1992. 383 p. 

GAIO, Carlos Morais – "A génese de Espinho: histórias e postais". Porto: Campo das Letras, 1999. 431 p. ISBN 972-610-235-9

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

JORNAIS LOCAIS

Ao longo dos anos, a Biblioteca foi armazenando jornais e revistas que são de grande interesse para Espinho. As publicações periódicas são, sem dúvida, uma importante fonte de informação para a memória e história local. 
Assim, com vista a cumprir uma das missões da IFLA para as bibliotecas públicas, a saber: “assegurar o acesso dos cidadãos a todos os tipos de informação da comunidade local, a Biblioteca Municipal de Espinho disponibiliza, em formato digital, os números que possui desta publicação, assegurando, desta forma, o acesso de todos à informação e preservando estas fontes históricas importantes para a memória coletiva local, já que alguns se encontram em avançado estado de degradação.
Após o tratamento adequado de cada um dos exemplares que possui, a Biblioteca disponibiliza o primeiro título já tratado e pronto para consulta do público que é a "Gazeta de Espinho".


A "Gazeta de Espinho" foi um jornal de periodicidade semanal, publicado ao domingo, que iniciou a sua edição a 6 de Janeiro de 1901, sob a direção de Joaquim de Oliveira Reis.
Segundo Carlos Morais Gaio, em "A génese de Espinho", página 205, esta publicação foi fundada “como instrumento desta luta [processo de emancipação administrativa] entre os dois concelhos, vindo ao encontro de alguns apelos feitos por correspondentes nos periódicos do Porto”, desta forma, este meio de comunicação terá funcionado “como veículo da luta pela independência, contra as ameaças de extinção, abrigando gente dos mais diferentes quadrantes” (página 214).
Bibliografia consultada:
BRANDÃO, Francisco Azevedo – Anais da história de Espinho: 985-1926. Espinho: Câmara Municipal de Espinho: Junta de Freguesia de Espinho, 1992. 383 p.
GAIO, Carlos Morais – A génese de Espinho: histórias e postais. Porto: Campo das Letras, 1999. 431 p. ISBN 972-610-235-9

terça-feira, 27 de agosto de 2019

"PENSAR A ESCRITA" COM PAULO M. MORAIS

PENSAR A ESCRITA
28 de setembro 2019

Paulo M. Morais nasceu em Lisboa em 1972. Licenciou-se em Comunicação Social e trabalhou em revistas de papel e portais de Internet, especializando-se nas áreas do cinema, da gastronomia e das viagens. Atualmente, dedica-se à tradução e à escrita de projetos editoriais. Gosta de cozinhar, olhar o mar, ler. Continua a ver muitos filmes. Estreou-se no romance com Revolução Paraíso (Porto Editora, 2013), a que se seguiram O Último Poeta (Poética Edições, 2015) e Seja Feita a Tua Vontade (Casa das Letras, 2017), finalista do Prémio LeYa 2015. Na área da não-ficção, publicou Uma Parte Errada de Mim (Casa das Letras, 2016) e Voltemos à Escola (Contraponto, 2017). O seu livro mais recente, Pratas Conquistador (Casa das Letras, 2019), testa as fronteiras dos géneros literários para contar a história de um pioneiro do cinema português.
Organização: Biblioteca Municipal.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

IV JORNADAS DA REDE DE BIBLIOTECAS DE ESPINHO

A Rede de Bibliotecas de Espinho, em parceria com os Agrupamentos de Escolas Dr. Manuel Laranjeira, Dr. Manuel Gomes Almeida, Centro de Formação Aurélio da Paz dos Reis e Academia de Música de Espinho, irá realizar nos dias 10 e 11 de maio 2019 as IV Jornadas subordinadas ao tema “Leitura, música e cinema... o que os une?".Estas jornadas, que decorrerão no Centro de Multimeios de Espinho, junto à Biblioteca Municipal, têm como destinatários os professores de todos os ciclos, professores bibliotecários e bibliotecários municipais. Estas jornadas, estão acreditadas como ação de formação de 12 horas.

Pretende-se com estas Jornadas fazer uma reflexão aglutinadora em torno da Literatura, do Cinema e da Música e discernir o seu interrelacionamento, mostrando a sua importância na formação integral do indivíduo e o seu contributo para a formação de cidadãos participativos, críticos e responsáveis. Pretendemos também realizar uma reflexão que permita descobrir na literatura, cinema e música, formas de reinventar a escola e as praticas das bibliotecas. São disso exemplo os workshops previstos. Registamos ainda a nossa intenção de integrar nas apresentações boas-práticas no âmbito da articulação entre estas formas de arte de modo a dar a conhecer exemplos de trabalhos em desenvolvimento nas escolas do concelho.


Parceiros: 
AE Dr. Manuel Laranjeira, AE Dr Manuel Gomes Almeida, Centro de Formação Aurélio da Paz dos Reis, Rede de Bibliotecas Escolares, Academia de Música de Espinho, Centro Multimeios de Espinho, ADCE.

Patrocinadores
:
Horto da Jú, Restaurante Vegetariano Terra Viva, Aipal

Cartaz das jornadas

GPS: 41º00'27.91"N / 8º38'17.65"O

Ver mapa maior